Escola brasileira aumenta notas com prática de Ioga e meditação

As práticas integrativas em saúde não estão apenas para curar enfermidades, mas veem a cura como uma consequência de um reequilíbrio natural do ser humano, físico, psíquico, mental e espiritual. Da mesma forma, aplicando esta visão à educação, quando o rendimento escolar está baixo pode ser porque as crianças não estão conseguindo desenvolver o seu potencial, não porque não tem potencial. Diante de notas baixas a resposta óbvia seria “aumentar o estudo”, mas porque não perguntar-se o que está perturbando e evitando o aprendizado?

Uma escola em São Paulo tem aplicado um método fantástico antes das aulas: 20 minutos de prática de Ioga e meditação com as crianças. Segundo os relatos dos professores e alunos, as mudanças são evidentes, tanto no comportamento e qualidade do ambiente, quanto nas notas, é claro.

A Frente Holística prega a valorização e a ampliação do acesso às práticas integrativas em saúde no SUS pois conhece os seus benefícios para a sociedade, não só em tratamentos, mas também em economia e eficiência. Seria interessante os educadores verem o potencial de uma prática integrativa como a meditação para a qualidade do ensino.

Confira abaixo a matéria que saiu na Folha de São Paulo e deixe sua opinião nos comentários. Acompanhe a página do Facebook.

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Com ioga e meditação na escola, alunos tiram até notas mais altas

 

A meditação mudou a rotina de alunos de uma escola de São Paulo, que é feita antes das aulas de matemática, português etc.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Desde o começo do ano, a prática acontece todos os dias com as 134 crianças do Centro de Apoio O Visconde, no Real Parque (zona oeste da cidade).

 

Começa no pátio. Deitados, os alunos fazem 20 minutos de ioga (conjunto de exercícios físicos e de respiração). Guardam os colchonetes e seguem em fila para uma sala de aula.

 

Lá, eles praticam mais 20 minutos de meditação. Sentados em posição confortável –alguns esparramados na carteira– fecham os olhos e mentalizam palavras ou sons.

“Antes eu gritava toda hora, agora fico mais calma”, diz Leticielly Silva, 10. “Medito em casa também, de vez em quando.” Ela ensinou a técnica para ajudar um amigo da escola que, segundo ela, “só fazia bagunça”.

 

Orientadora do centro, Glenir Monte, 31, diz que a mudança de comportamento é visível. “Antes eles tinham muito problema de relacionamento, hoje convivem melhor”, conta.

Gabriel Souza, 11, é um dos ficou mais “zen” desde que começou a meditação. Mas o garoto nem sempre gosta das aulas. “Às vezes fico entediado, demora muito.” Ele, no entanto, reconhece. “Acho que agora consigo prestar mais atenção na escola. Outro dia tirei até 9 em geografia, que eu detesto.”

 

“O ideal seria que as aulas fossem incorporadas ao dia a dia das escolas”, diz Flávia Baptista, 38, diretora da Sociedade Internacional de Meditação. “Mas é difícil, porque têm que cumprir a carga horária.

 

Estudo avalia que meditação e Yoga podem alterar o DNA celular

Estudo avalia que meditação pode alterar o DNA celular

Os benefícios das diferentes práticas integrativas passam a ser conhecidos a medida em que são estudados com mais critério, com uma outra visão, outro paradigma, mais holístico e menos cartesiano. A visão que vê o corpo e mente como entidades separadas e independentes diminui a medida que se conhece mais sobre o ser humano em sua totalidade. Ideias que a certo tempo pareciam absurdas podem começar a serem vistas de forma mais séria.

Um grupo de pesquisadores sobre o câncer do hospital Alberta Health Services e da universidade de Calgary, ambos do Canadá, publicaram o resultado de um estudo que “mostra novas claras evidências da conexão mente-corpo“. No estudo com paciente que se recuperavam de câncer, foi constatado que os indivíduos que meditavam e praticavam Hatha Yoga apresentavam um menor encurtamentos dos telômeros, o que indica uma melhor divisão celular e menor envelhecimento.

A pesquisadora e diretora do instituto de pesquisa sobre o câncer que fez parte do estudo, Linda Carlsonautora, deixou clara a sua surpresa. “Sabia-se que intervenções psicossociais como a meditação ajudam o paciente a se sentir melhor, mas pela primeira vez temos evidências de que eles podem também influenciar aspectos chaves da nossa biologia“. (grifos nossos)

A Frente Holística sempre reconheceu a validade das práticas integrativas e seus profissionais, algumas com milênios de história, como é o caso do Yoga e da meditação. Entre seus objetivos está a disponibilização destas práticas no Sistema Único de Saúde. Gostaria de contribuir e participar? Entre em contato e participe!

Confira abaixo duas reportagens sobre o estudo:

BRASILPOST: Fazer yoga e meditar alteram o corpo no nível celular, sugere estudo

“Um novo estudo canadense aponta que a meditação e o yoga estão associados à reversão da deterioração celular em sobreviventes do câncer de mama.”

 

GALILEU: Novo estudo sugere que meditação é realmente capaz de alterar as células do corpo

Práticas integrativas em saúde na política: Índia cria vice-ministério do Yoga

Veja que grande novidade e exemplo para nosso trabalho na Frente Parlamentar. O primeiro ministro indiano promove a vice ministério o departamento de Yoga, incluindo ai o Ayurveda, a homeopatia e outras práticas e terapias. Confira esta notícia:

Exemplo que vem do oriente: Índia anuncia a criação de Vice-Ministério da Yoga e Ayurveda

As práticas integrativas em saúde, em suas diferentes formas, sempre foram um riquíssimo patrimônio da humanidade, contribuindo para sua saúde e qualidade de vida. Como deputado federal, Giovani Cherini sempre se destacou pela atuação em prol das práticas integrativas em saúde e seus profissionais. Ter fundado e ser presidente da Frente Parlamentar de Práticas Integrativas em Saúde, promover o Encontro Holístico Brasileiro e diversos projetos de lei, são o exemplo do trabalho de valorização política das práticas integrativas e seus terapeutas.

Da Índia, berço de diversas ciências e filosofias, vem mais um exemplo dos dias atuais para nosso país, a criação do Vice-Ministério do Yoga, o qual tem por objetivo a promoção e preservação da prática bem como de outras ciências e terapias, como a Ayurveda e a Homeopatia. Como não é de surpreender, aquele que tomou esta iniciativa foi um político e praticante do Yoga, Narendra Modi. A notícias foi divulgada no dia 11 de novembro de 2014 e se espalhou pelo mundo.

O primeiro ministro indiano possui uma visão muito interessante e especial sobre as práticas integrativas. “O yoga não deve ser só um exercício, mas deve ser um meio para se conectar com o mundo e a natureza”, afirmou ele durante uma fala nas Nações Unidas. Em uma congresso sobre ayurverdra, Modi afirmou “o yoga adquiriu um reconhecimento mundial para aqueles que querem viver sem stress e escolhem uma abordagem holística da saúde”. Já o Ayurvedra “se for apresentado de forma correta como um modo de vida” também poderá ter cada vez mais reconhecimento. Compreendendo a Ayurveda como uma ciência, ele afirma “há necessidade de uma maior consciência sobre a medicina Ayurveda. No pode limitar-se somente ao médico, nossos ancestrais fizeram da boa saúde parte da vida”.

Narendra Modi ainda defendeu em setembro na Assembleia Geral da ONU a criação do Dia Internacional da Yoga. Segundo ele, o Yoga permite descobrir o sentido da unidade entre o ser, o mundo e a natureza.

O vice-ministério terá o nome de AYUSH, siglas de Ayurveda, Ioga, Unani, Siddha e Homeopatia,  e terá à frente o indiano Shripad Yesso Naik. Anteriormente estes temas eram apenas um departamento no Ministério da Saúde indiano.

Com certeza essa visão holística da sociedade, cultura, saúde e práticas integrativas é sinal de quem pensa e faz mais que política.