Escola brasileira aumenta notas com prática de Ioga e meditação

As práticas integrativas em saúde não estão apenas para curar enfermidades, mas veem a cura como uma consequência de um reequilíbrio natural do ser humano, físico, psíquico, mental e espiritual. Da mesma forma, aplicando esta visão à educação, quando o rendimento escolar está baixo pode ser porque as crianças não estão conseguindo desenvolver o seu potencial, não porque não tem potencial. Diante de notas baixas a resposta óbvia seria “aumentar o estudo”, mas porque não perguntar-se o que está perturbando e evitando o aprendizado?

Uma escola em São Paulo tem aplicado um método fantástico antes das aulas: 20 minutos de prática de Ioga e meditação com as crianças. Segundo os relatos dos professores e alunos, as mudanças são evidentes, tanto no comportamento e qualidade do ambiente, quanto nas notas, é claro.

A Frente Holística prega a valorização e a ampliação do acesso às práticas integrativas em saúde no SUS pois conhece os seus benefícios para a sociedade, não só em tratamentos, mas também em economia e eficiência. Seria interessante os educadores verem o potencial de uma prática integrativa como a meditação para a qualidade do ensino.

Confira abaixo a matéria que saiu na Folha de São Paulo e deixe sua opinião nos comentários. Acompanhe a página do Facebook.

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Com ioga e meditação na escola, alunos tiram até notas mais altas

 

A meditação mudou a rotina de alunos de uma escola de São Paulo, que é feita antes das aulas de matemática, português etc.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Desde o começo do ano, a prática acontece todos os dias com as 134 crianças do Centro de Apoio O Visconde, no Real Parque (zona oeste da cidade).

 

Começa no pátio. Deitados, os alunos fazem 20 minutos de ioga (conjunto de exercícios físicos e de respiração). Guardam os colchonetes e seguem em fila para uma sala de aula.

 

Lá, eles praticam mais 20 minutos de meditação. Sentados em posição confortável –alguns esparramados na carteira– fecham os olhos e mentalizam palavras ou sons.

“Antes eu gritava toda hora, agora fico mais calma”, diz Leticielly Silva, 10. “Medito em casa também, de vez em quando.” Ela ensinou a técnica para ajudar um amigo da escola que, segundo ela, “só fazia bagunça”.

 

Orientadora do centro, Glenir Monte, 31, diz que a mudança de comportamento é visível. “Antes eles tinham muito problema de relacionamento, hoje convivem melhor”, conta.

Gabriel Souza, 11, é um dos ficou mais “zen” desde que começou a meditação. Mas o garoto nem sempre gosta das aulas. “Às vezes fico entediado, demora muito.” Ele, no entanto, reconhece. “Acho que agora consigo prestar mais atenção na escola. Outro dia tirei até 9 em geografia, que eu detesto.”

 

“O ideal seria que as aulas fossem incorporadas ao dia a dia das escolas”, diz Flávia Baptista, 38, diretora da Sociedade Internacional de Meditação. “Mas é difícil, porque têm que cumprir a carga horária.

 

Um olhar holístico no Supremo Tribunal Federal

Inaugurando nossa sessão de vídeos no site da Frente Holística, começamos com um conteúdo que não diz respeito diretamente às práticas integrativas em saúde, mas sim ao campo do paradigma holístico. O ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal, Ayres Brito, além de jurista respeitado, é poeta e tem profundo apreço pela literatura e filosofia. O documentário Tempo e História, da TV Justiça, apresentou um pouco do pensamento do ex-ministro do STF, Ayres Britto, e nele encontramos ideias muito interessantes, ainda mais vindas de um homem com notável papel público e político.

Veja abaixo o momento em que ele fala do pensamento a respeito sobre “o todo”:

Aqui um trecho da fala:

Eu quero é pertencer ao todo, não quero mais me comprometer com uma parte do todo. Holisticamente eu quero o visual do todo, o experimento do todo como se o todo fosse um todo sem parte. E de certa maneira é, não é? É possível viver o todo como um todo sem partes. É a história do barco vazio. É aquilo que o momento determina, impõe, convence você de que é assim, pronto. Não significa que aquilo vai durar para sempre, você pode mudar de opinião, mas partido político e confissão religiosa eu já não tenho nenhum propósito de me filiar e me vincular, a nenhum deles.

 

A religião é uma ponte. Como diria Hegel, há uma ideia incriada que é o criador de todo as coisas. É uma entidade que não tem nem princípio, nem meio, nem fim. Então eu não preciso mas da mediação dos sacerdotes, dos pastores, dos rabinos, não preciso. Eu me conecto diretamente com o que eu acredito ser a fonte da vida. Então estou satisfeito assim.

 

Entrevistador: O senhor medita?

 

Sim, eu faço há mais de vinte anos meditação oriental.

 

Ayres Britto

 

Ainda sobre a meditação, Ayres Brito deu uma entrevista à Folha onde ele fala sobre o seu processo, leia o trecho:

 

Folha – Quando foi sua iniciação no campo da meditação?

Carlos Ayres Britto – De uns 20 anos para cá, tanto a meditação quanto o cardápio vegetariano. Eu tinha em torno de 50 anos, um pouco antes, até.

 

Como o sr. se converteu?

Eu recebi influências positivas, de, por exemplo, [Jiddu] Krishnamurti [1895-1986, guru indiano], Osho [Rajneesh, 1931-90, místico indiano], Eva Pierrakos [1915-79, médium austríaca], Eckhart Tolle [pseudônimo de Urich Leonard Tolle, escritor espiritualista nascido em 1948], autor do livro “O Poder do Agora”, e a pessoa que mais me influenciou, Heráclito [de Éfeso, c. 540-c. 480 a.C., pré-socrático que elegeu o fogo e a permanente transformação como princípio da ordem universal].

 

Depois, de uns 12 anos para cá, comecei a me interessar por física quântica, e ela me pareceu uma confirmação de tudo o que os espiritualistas afirmam. A física quântica, sobretudo os escritos de Dannah Zohar [especializada em aconselhamento espiritual e profissional]. Venho lendo os livros dessa mulher, uma americana que escreveu uma trilogia maravilhosa: “O Ser Quântico”, “A Sociedade Quântica” e “QS – Inteligência Espiritual”. Também passei a me interessar muito por neurociência.

 

O sr. tinha religião?

Católica, só que, de 20 anos para cá, me tornei um espiritualista.

 

 

Holismo é saber ver o todo, entender que ele é mais que a simples soma de suas partes, já que a relação entre as partes tornam as coisas mais complexas e profundas, seja na saúde, na filosofia, na política e na sociedade. A Frente Holística busca a mudança do paradigma da saúde convencional, que vê paciente, sociedade, sintomas, doenças, remédios e tratamentos como partes separadas e propor uma visão holística na saúde, através do imenso aporte das práticas integrativas em saúde.

O senhor Ayres Britto já havia sido reconhecido por seu pensamento e visão de mundo pelo presidente da Frente Holística, Giovani Cherini, quando este exercia o mandato de deputado estadual, na Assembléia gaúcha. Cherini concedeu ao então ministro Ayres Brito a Medalha do Mérito Farroupilha, em 2010.

 

Deixe a sua opinião nos comentários!

Estudo avalia que meditação e Yoga podem alterar o DNA celular

Estudo avalia que meditação pode alterar o DNA celular

Os benefícios das diferentes práticas integrativas passam a ser conhecidos a medida em que são estudados com mais critério, com uma outra visão, outro paradigma, mais holístico e menos cartesiano. A visão que vê o corpo e mente como entidades separadas e independentes diminui a medida que se conhece mais sobre o ser humano em sua totalidade. Ideias que a certo tempo pareciam absurdas podem começar a serem vistas de forma mais séria.

Um grupo de pesquisadores sobre o câncer do hospital Alberta Health Services e da universidade de Calgary, ambos do Canadá, publicaram o resultado de um estudo que “mostra novas claras evidências da conexão mente-corpo“. No estudo com paciente que se recuperavam de câncer, foi constatado que os indivíduos que meditavam e praticavam Hatha Yoga apresentavam um menor encurtamentos dos telômeros, o que indica uma melhor divisão celular e menor envelhecimento.

A pesquisadora e diretora do instituto de pesquisa sobre o câncer que fez parte do estudo, Linda Carlsonautora, deixou clara a sua surpresa. “Sabia-se que intervenções psicossociais como a meditação ajudam o paciente a se sentir melhor, mas pela primeira vez temos evidências de que eles podem também influenciar aspectos chaves da nossa biologia“. (grifos nossos)

A Frente Holística sempre reconheceu a validade das práticas integrativas e seus profissionais, algumas com milênios de história, como é o caso do Yoga e da meditação. Entre seus objetivos está a disponibilização destas práticas no Sistema Único de Saúde. Gostaria de contribuir e participar? Entre em contato e participe!

Confira abaixo duas reportagens sobre o estudo:

BRASILPOST: Fazer yoga e meditar alteram o corpo no nível celular, sugere estudo

“Um novo estudo canadense aponta que a meditação e o yoga estão associados à reversão da deterioração celular em sobreviventes do câncer de mama.”

 

GALILEU: Novo estudo sugere que meditação é realmente capaz de alterar as células do corpo