Lançamento da Frente Holística em Brasília

É com grande alegria que convidamos a todos os terapeutas, entidades, associações e sindicatos ligados as terapias integrativas do Brasil para o relançamento da Frente Parlamentar Mista de Práticas Integrativas em Saúde – Frente Holística.

Dia 18 de junho, às 14h, no Plenário 14 da Câmara dos Deputados, Brasília/DF

Confirme presença pelo email cherini@giovanicherini.com

O relançamento da Frente Holística se deve ao fato das frentes parlamentares serem arquivadas com a finalização de um mandato e necessitarem ser relançadas após o início de um mandato.

Anúncios

Práticas integrativas na promoção, manutenção e recuperação em cidade de mineira

A cidade de Itabira, Minas Gerais, tem desenvolvido um belo trabalho promovendo as práticas integrativas na promoção, manutenção e recuperação da saúde de seus cidadão. Esse enfoque é importantíssimo, pois as práticas integrativas em saúde estão para andarem lada a lado com a medicina ortodoxa, complementando e potencializando os resultados, focando na promoção da saúde, não na manutenção da doença e seus sintomas.

Um comunidade que tem as práticas integrativas como parte de seu cotidiano tem mais qualidade de vida em todos os aspectos (físico, emocional, mental e espiritual), consome menos remédios e logo, é mais saudável, pois compreende seus cidadão como partes de um todo complexo.

Veja abaixo a notícia da cidade mineira, Itabira:

Pacientes têm acesso a práticas terapêuticas que auxiliam no tratamento de doenças

Para auxiliar na prevenção e no tratamento de doenças, a Prefeitura de Itabira oferece aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) as Práticas Integrativas Complementares (PIC). Uma delas é a prática corporal chinesa Lian Gong (cuja pronúncia é Lian Kun). No próximo ano, devem ser disponibilizadas a acupuntura, a homeopatia e o Tai Chi Chuan.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os trabalhos são desenvolvidos por equipes dos Núcleos de Apoio Saúde da Família (Nasf), da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). “Atendendo à determinação do prefeito Damon Lázaro de Sena, estamos implantando essas práticas integrativas. Elas atuam na promoção, manutenção e recuperação da saúde, baseadas em um modelo de atenção humanizado e centrado na integralidade do indivíduo, contribuindo para o fortalecimento dos princípios fundamentais do SUS”, disse o diretor de PIC da SMS, Lúcio Flávio Santos. Pessoas de qualquer idade podem ser beneficiadas com essas práticas: entretanto, o encaminhamento é feito pelas unidades do Programa Saúde da Família (PSF).

Na ginástica terapêutica Lian Gong em 18 Terapias, os exercícios são divididos em três partes: cada uma contém 18 movimentos harmoniosos que atuam em áreas específicas do corpo. A atividade previne e trata dores pelo corpo, como pescoço, ombros, região lombar, pernas e articulações. Ela busca dissolver as tensões musculares, alongar tendões e ligamentos, corrigir a postura física e estimular a percepção dos sentidos.

A ginástica melhora o funcionamento dos órgãos, aumenta a disposição do paciente, melhora a qualidade do sono, contribui para o controle do diabetes, hipertensão arterial e outras doenças crônicas. Entretanto, é contraindicada aos pacientes que possuem restrição quanto a atividades físicas, gestantes e aqueles que fazem tratamento contra o câncer.

Capacitação em auriculoterapia

Nesta semana, a Prefeitura de Itabira promoverá um curso sobre Auriculoterapia para profissionais da saúde. A capacitação começa amanhã (4) e vai até o dia 6 de novembro, no Centro Viva Vida Hiperdia Dr. Sad. A primeira turma contará com 15 participantes, entre médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos e terapeutas ocupacionais.

A auriculoterapia consiste na estimulação de pontos específicos da orelha para aliviar dores ou tratar diversos problemas físicos ou psicológicos, como ansiedade, enxaqueca, insônia e dores articulares, por exemplo. Podem ser utilizadas pequenas agulhas (auriculopuntura) ou sementes de mostarda (auriculotaping).

Lúcio Santos explicou que a busca pela qualidade de vida, os benefícios proporcionados pela auriculoterapia e a rápida ação analgésica fazem dessa terapia “uma excelente opção para o manejo de doenças de difícil resolução, com o uso de recursos simplificados e eficientes. Atualmente, ela se apresenta como uma possibilidade concreta de redução de gastos públicos na área de saúde, visto que o paciente poderá utilizar menos recursos medicamentosos, evitando também, em muitos casos, o uso dos serviços públicos de emergência e urgência”.

Veja mais fotos e os horários e locais, no site da Prefeitura de Itabira.

Minas agora tem Frente Parlamentar de Práticas Integrativas em Saúde

Seguindo a iniciativa da Frente Holística na Câmara Federal, outras iniciativas tem surgido em outros estados, como em Minas Gerais. Confira:

Atendendo ao requerimento da deputada Liza Prado e outros 14 deputados ao plenário é criada a Frente Parlamentar de Práticas Integrativas em Saúde (Acupuntura, Fitoterapia, Homeopatia e afins) na ALMG, é uma grande conquista em prol da saúde individual e coletiva. A frente parlamentar tem como objetivo promover as Práticas Integrativas em Saúde e o aprimoramento das legislações federais relacionadas ao tema.

A deputada estadual Liza Prado comemora junto à sociedade de “ medicina alternativa” , pois acredita que essa prática é algo mais que vital para o atendimento às famílias e à população ávida por alternativas no atendimento, nas terapias populares e até contando com as biblioterapias.

Para Marco Aurélio Cozzi, delegado do Sindicato Nacional dos Terapeutas Naturistas de Minas Gerais, é uma conquista inédita, no SUS já foram aprovadas 15 terapias “alternativas” são alternativas com menores custos ecológicos e financeiros, tanto pelo uso da vitalista Acupuntura como da Homeopatia, verdadeiras alquimias das medicinas “alternativas”, ecologicamente corretas, populares, etc.

Ocorreu na ALMG uma audiência pública com o tema “Medicinas Alternativas” na Atualidade e Consumidores afins às Práticas Integrativas e Complementares de Saúde. Em pauta, temas como :redução dos gastos com saúde-doença e baixo custo técnico-escolar-profissional, além de abertura do mercado afim aos cursos da área, concursos, convênios, postos de saúde, corporações civis e militares, desportistas, assistência em maternidades, hospitais, emergências, por profissionais de saúde não convencionais que dominam, por formação, essas medicinas “alternativas” como: os médicos sino-orientais (chineses, indianos/ayurvedas, coreanos, japoneses ensinando e prescrevendo em todo o país), seus discípulos, acupunturistas, terapeutas naturistas afins.

Atualmente, o país a fim de provocar um amplo pacto de melhoria do atendimento aos usuários do SUS recebe mais de três mil médicos cubanos, esses médicos buscam amenizar a subsistência dos pacientes cercados pelo caos que chegou o sistema de saúde ultra especializado,caríssimo e lesivo ao consumidor de saúde.

Fonte: Liza Prado

Comissão discute regulamentação das terapias naturais e integrativas

No site da Câmara de Deputados:

Comissão discute regulamentação das terapias naturais e integrativas

A Comissão de Legislação Participativa discute hoje a regulamentação das terapias naturais e integrativas com entidades ligadas à atividade. Atualmente, o tema está presente em dois projetos de lei em tramitação na Câmara: o PL 6959/10, que regulamenta a profissão de terapeuta naturista, e o PL 3804/12, que regulamenta a de naturólogo.

 

Apesar de as profissões possuírem atuação diferenciada, representantes desses profissionais defenderam, na última quinta-feira (10), em audiência na Comissão de Seguridade Social e Família, um acordo entre terapeutas naturistas e naturólogos para a elaboração de um único projeto.

 

A regulamentação é defendida pela Federação Nacional dos Terapeutas (Fenate), pelo Sindicato Nacional dos Terapeutas Naturistas (Sinaten) e pela Associação dos Terapeutas Naturalistas Alternativos na Saúde e Cultura do Brasil.

 

A Fenate afirma que um debate envolvendo todos os interessados é necessário para que se possa definir um único projeto de lei para regulamentar a categoria. “Com a definição de um único projeto, será possível o terapeuta ser amparado por lei, o que favorecerá a criação do Conselho Federal de Terapeutas”, aponta a federação.

 

Foram convidados para a audiência:

– a presidente da Fenate, Maria do Perpétuo Socorro de Salles;
– a vice-presidente da Fenate, Adeilde Marques;
– o terapeuta naturista, massoterapeuta e homeopata Rogerio Fagundes Filho;
– o presidente do Sinaten, Milton Alves dos Santos; e
– o presidente da Associação dos Naturalistas Alternativos na Saúde de Minas Gerais (Assan), Wadson Ribeiro da Silva.